NOVO CADASTRO POSITIVO - Entenda como pode beneficiar


Sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, a nova lei do Cadastro Positivo torna automática a inclusão de consumidores no banco de dados.
O cadastro reúne informações sobre pagamentos em dia e empréstimos quitados, e serve de referência para agentes econômicos. 

Inscritos que estiverem em dia com o pagamento de contas, como IPVA, fatura de cartão, água e luz, por exemplo, serão recompensados com melhores condições de pagamento e menores taxas de juros.
De acordo com estudo da Serasa Experian, só na Paraíba, a nova lei deve beneficiar 90,4% da população adulta, o equivalente a 2 milhões e 600 mil consumidores. Em todo o país, esse número chega a aproximadamente 137 milhões. Além disso, mais de 22 milhões de pessoas adimplentes e fora do mercado de crédito podem ser incluídas no Cadastro Positivo.
O diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian, Julien Dutra, explica que as características do pagador serão definidas por pontuações de crédito. 

“Quando o cidadão é inserido automaticamente no Cadastro Positivo, o histórico de crédito dele, ou seja, as informações sobre o crédito contratado mais as parcelas pagas e as parcelas que ainda serão pagas farão parte do Cadastro Positivo em um formato chamado score, ou pontuação de crédito”
JULIEN DUTRA
Diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian

Pela nova lei, a inclusão dos dados no Cadastro Positivo não precisa mais de autorização prévia, mas o consumidor deve ser informado sobre a disponibilização de seu histórico de pagamento em até 30 dias. Outra regra prevê que as informações só podem ser compartilhadas dois meses após a abertura do cadastro.

ESTÍMULO À ECONOMIA
A Serasa Experian projeta que a adoção do Cadastro Positivo pode gerar movimentação da ordem de R$ 1,3 trilhão na economia do país.
Na opinião do deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), presidente da Frente Parlamentar do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (FCS), o principal beneficiário será o consumidor, que terá mais poder de crédito. 

“A expectativa nossa é que o efeito do Cadastro Positivo seja exatamente dar mais acesso ao crédito, a taxas de juros menores, especialmente para quem mais precisa, que hoje está à margem desse processo econômico. Por exemplo, para grande parte da população das classes C,D e E brasileira que não tem conta em banco, mas que honra seus pagamentos.Você, tendo o seu carimbo de bom pagador, vai poder negociar esses juros mais em conta com o seu banco, com a sua financiadora, com a sua cooperativa de crédito.
O Cadastro Positivo também terá essa outra visão, a de poder aumentar a concorrência no setor financeiro”.
DEPUTADO FEDERAL EFRAIM FILHO (DEM-PB)
Presidente da Frente Parlamentar do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (FCS)

Quem não desejar fazer parte do Cadastro Positivo deverá pedir para ter o CPF excluído da lista. A lei prevê que o gestor deverá realizar automaticamente o cancelamento dos registros de pessoa física ou jurídica que tenha manifestado previamente a vontade de não ter aberto seu cadastro.
Com origem no Senado Federal, o texto da nova lei foi modificado na Câmara dos Deputados e precisou passar por nova análise dos senadores, concluída em março.

Fonte: Agência do Rádio - Juliana Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo