SECRETARIA DO TRABALHO e ACIT vão unir forças pelos empresários



Um almoço no Zezinho Carne de Sol em Taguatinga marcou o inicio do que poderá ser uma parceria benéfica para todos os empresários Taguatinguenses.



O presidente da Associação Comercial e Industrial de Taguatinga (ACIT) - Justo Magalhães, o diretor de Comunicação da entidade - Edvaldo Brito, o gerente da Agencia do Trabalhador de Taguatinga - Oséias Conde e a assessora do deputado distrital Robério Negreiros - Emi Rodrigues receberam o subsecretário do Trabalho GDF - Illton Teixeira para, entre outras coisas, debaterem a melhor forma de propiciar aos empresários todas as facilidades oferecidas pela secretaria.

Em um dos pontos abordados - o novo site da ACIT -, Ilton Teixeira já deixou pré-agendada uma reunião entre o grupo de TI da secretaria e o grupo de trabalho da modernização da plataforma da associação, para a elaboração de um projeto de integração visando facilitar a oferta de emprego e de mão de obra para o comércio e indústria da cidade.
Uma nova reunião foi agendada entre a ACIT e a Secretaria de Trabalho para o desenvolvimento do tema, desta feita, solicitada pelo titular da Pasta - Thales Mendes Ferreira, que ficou muito interessado no projeto de modernização do site da associação e no grande potencial de benefícios que a parceria vai trazer para o governo e para a classe empresarial.







THALES MENDES FERREIRA - Secretário do Trabalho
O governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha nomeou o superintendente do Arquivo Público Thales Mendes Ferreira para chefiar a Secretaria do Trabalho em 21 de janeiro .
Thales, em governos anteriores, foi secretário adjunto de Desenvolvimento Social.



ACIT / AGÊNCIA DO TRABALHADOR – Parceria em favor do empresário.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Taguatinga (ACIT) Justo Magalhães, visitou a Agência do Trabalhador de Taguatinga, atendendo a convite do Gerente do órgão, Oséias Conde.


FACILIDADES DO SINE
 A Agência do Trabalhador de Taguatinga através do  Sistema Nacional de Emprego (SINE),  oferece gratuitamente às empresas o serviço de intermediação de mão de obra.
O orgão realiza o encontro entre o empresário que deseja ofertar vagas de emprego e o trabalhador à procura de inserção ou reinserção profissional.
O SINE possui um cadastro de trabalhadores com diversos perfis de trabalhadores, sejam para vagas de nível operacional, tático ou estratégico e  também  para a contratação de pessoas com deficiência conforme previsto em lei.

VAGAS
Para divulgação das vagas  de emprego é necessário  somente preencher um formulário e cadastrá-la. Após o cadastro no sistema a vaga ficara disponível por 15 dias, podendo ser alterada de acordo com o interesse do empregador. 
O candidato que comparecer na agência no perfil da vaga oferecida, será encaminhado para entrevista de emprego em data e horário especificados, com uma carta de encaminhamento do SINE .
Essa carta será devolvida pelo entrevistador com a resposta do processo seletivo, assinatura e carimbo do responsável pela divulgação, transparecendo a segurança do serviço.

ESPAÇO PARA EMPRESAS
A Agência do Trabalhador de Taguatinga disponibiliza uma sala para as empresas realizarem os processos seletivos sem custo e também diversas orientações ao trabalhador.

SITE ACIT
Associação Comercial e Industrial de Taguatinga (ACIT) está em processo de finalização da modernização do novo site da entidade. Entre as novidades que estão sendo preparadas, está um projeto que prevê a disponibilização de vagas de emprego nas empresas da cidade na plataforma. Um dos temas abordados no encontro entre Justo Magalhães e Oséias Conde foi a aproximação de candidatos a empregos com os possíveis empregadores no ambiente do Site, através de uma parceria da ACIT com a Agência do Trabalhador. 

COMBATE À DENGUE - fiscalização de olho nas caçambas


Além de resguardar as áreas de preservação ambiental e também as públicas, a fiscalização de caçambas também é uma forma de evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A ação é realizada pelo DF Legal, com rondas diárias pelas cidades e em parceria com a população, que pode fazer denúncias desses depósitos que estiverem abandonados há mais de 30 dias ou de transportadores irregulares pelo 162, de forma gratuita.
O subsecretário de Fiscalização de Resíduos do DF Legal, Rildo Wagner, explica que, durante as operações de caça-caçamba havia acúmulo de água e vestígios de larvas de mosquitos, que podem ser do Aedes aegypti.
“Por isso, é muito importante que a população tenha a consciência de contratar uma empresa que seja cadastrada. O índice de depósitos recolhidos, que são de empresas clandestinas, é grande”, orienta.

Atualmente, cerca de 16 mil caçambas estão cadastradas e quatro mil são alocadas por dia em todo o Distrito Federal.
Para saber quais transportadores estão cadastradas, basta entrar no site do SLU ou exigir uma cópia do Controle de Transporte de Resíduos  que permite o descarte correto de entulhos na Unidade de Recebimento de Entulho , antigo lixão da Estrutural.
Com o documento, é possível acompanhar pelo site desde o dia que a caçamba é recolhida até quando o lixo é jogado.

Em caso de descarte irregular desses resíduos, tanto a transportadora quanto o usuário que contratou o serviço podem pagar uma MULTA DE ATÉ R$ 21 MIL.
Nas áreas de Preservação Permanente, a quantia chega a R$ 217 MIL.
Nas situações de abandono do depósito, O CUSTO É DE R$ 4 A R$ 7 MIL, mais o valor da operação de retirada da caçamba.
O cadastro de transportadores no SLU é obrigatório para a emissão do CTR, que permite o descarte correto de entulhos na URE, antigo lixão da Estrutural. A URE é o único local público autorizado para descarte de resíduos. O transportador pode realizar o cadastro no site.

CAMPANHA 
O DF Legal pretende distribuir cartilhas com orientações para o descarte correto de resíduos da construção civil em março deste ano.
A ideia, segundo o subsecretário de Fiscalização de Resíduos do DF Legal, Rildo Wagner, é entregar a informação na porta da população.
“Vamos visitar todas as cidades do DF e as obras também. Já fazemos esse trabalho de orientação nas construções, mas será uma campanha mais intensa”, informou.

OPERAÇÃO  
Em outubro do ano passado, o DF Legal promoveu a operação Caça Caçamba. A ação, iniciada em julho, teve o objetivo principal de conscientizar os transportadores quanto à correta destinação de resíduos e a alocação dos contêineres. Foram 400 empresas notificadas para o recolhimento do depósito em áreas públicas, sob pena de multa e apreensão. A adesão foi de 80% na retirada e na busca pela regularização.

Fonte: Agência Brasília

CEILÂNDIA E SAMAMBAIA - Governo escuta demandas de empresários


Com o intuito de ouvir e procurar atender às demandas dos empresários de Ceilândia, o vice-governador Paco Britto esteve em reunião com o administrador regional Marcelo Piauí e representantes empresariais da região, na sede da Administração Regional.


Em seguida, Paco participou de um almoço com integrantes da Associação Comercial e empresários de Samambaia, em um sítio, no km 8 da BR-060.

O foco do encontro foi o Setor de Oficinas (Setor O), onde deverá ser instalado um contêiner para o descarte de peças velhas – carcaças de veículos –, a fim de manter o local limpo,  organizado e livre do mosquito da dengue.
“Vamos atender, mas haverá fiscalização. Estou querendo normatizar, organizar o setor”, frisou Paco, referindo-se ao Termo de Ajuste e Conduta (TAC), que poderá ser utilizado na aplicação de multas, caso as empresas não atendam às regras.

Outros assuntos tratados no encontro foram as placas de sinalização e indicação, incluindo uma específica de retorno para o Setor de Oficinas, que serão confeccionadas pelo GDF. “Vamos regulamentar isso”, garantiu Marcelo Piauí. 

O administrador aproveitou para citar as melhorias na cidade feitas pelo GDF, na área da segurança, por exemplo, com a instalação de um Centro de Monitoramento no Quartel, no qual equipamentos acompanham a movimentação em tempo real; além de 90 policiais trabalhando nas ruas, com rondas periódicas; também falou sobre as hortas comunitárias desenvolvidas em becos ociosos da cidade; pavimentação da rede pluvial; e reforma de quadras, entre outras.

PROJETOS
Durante a visita do vice-governador à Administração Regional, Marcelo Piauí apresentou três projetos para a comunidade, com a revitalização dos espaços abandonados, como os encontrados na Praça dos Eucaliptos; no Abadião e na Estação Central do Metrô.

A ideia é criar espaços culturais, de convivência, de lazer e de entretenimento à população. Os projetos, que deverão ser lançados em breve, estão em fase de licitação.

SAMAMBAIA
Paco Britto também esteve em Samambaia para participar, com cerca de 80 empresários do setor produtivo, de uma reunião durante almoço oferecido pela Associação Comercial, em um sítio na BR–060.

O vice-governador enfatizou que o governo Ibaneis Rocha apoia constantemente o empresariado. “Queremos atrair mais empresas. Resgatar as que foram embora  e prestigiar as daqui. Por determinação do governo Ibaneis, vamos beneficiar o empresário local e girar a economia do DF”, garantiu.

O administrador de Samambaia, Gustavo Aires, parabenizou a iniciativa do governo e elogiou a forma de atuação, em trabalho conjunto com as administrações. “Como disse o vice-governador, a força vem das cidades, que giram a economia”, ponderou.

Fonte/Foto: Agência Brasília

ESTUDANTES DO SESI DE SOBRADINHO desenvolvem dispositivo de garrafa pet que evita alagamentos


Preocupados com os problemas ambientais que as cidades brasileiras enfrentam, seis estudantes do SESI de Sobradinho trabalham em um dispositivo que coleta resíduos e facilita a limpeza dos bueiros.



A equipe, batizada de “Bisc8”, é uma das seis que representa o DF na seletiva regional do Torneio de Robótica FIRST LEGO League (FLL), em Taguatinga. 
Outros 22 times do Centro-Oeste e do Nordeste também lutam pelas três vagas para a etapa nacional.

Segundo o grupo, a ideia nasceu diante da repetição de um problema que todo ano, na época de chuva, causa transtornos no DF: os alagamentos.
Para chegar a um projeto que poderia resolver isso na prática, a estudante Letícia Ferreira de Araújo, de 15 anos, conta que ela e os colegas conversaram com técnicos do Sistema de Limpeza Urbana (SLU). Descobriram, por exemplo, que a empresa chegou a tentar algo parecido, mas desistiu por conta do custo elevado.
“Nosso produto vai ser feito de garrafa pet, um dos materiais que mais tem nos lixos de Brasília. Então, ele vai ter uma durabilidade muito boa. O nosso cesto vai custar 100 reais. O cesto que já existe, com material que enferruja, custa cerca de mil reais”, revela.
“A gente pesquisou bastante para achar um problema que a gente vivenciasse realmente, então vimos os alagamentos. É algo que acontece muito nas cidades-satélites. O principal fator é a quantidade de lixo que fica dentro dos bueiros”, completa Letícia.

Além da Bisc8, outras cinco equipes do DF tentam uma vaga no principal torneio de robótica do país.
Taguatinga será representada pela “Albatroid” e pela “Albageek”. O Gama estará presente com as equipes “Legofield” e a “Lego of Olympus”. Sobradinho terá também como representante a “Ohana”, que desenvolve um projeto de filtros de ar para trabalhadores que permanecem em locais com poluição.

Apesar da disputa, a professora Kamila de Sousa, que treina as duas equipes de Sobradinho, conta que o torneio ensinou aos alunos o valor de se trabalhar em equipe.
“A equipe do Gama, por exemplo, estava precisando de ajuda. Aí eles mesmos (os alunos de Sobradinho) se propuseram: ‘Vamos lá ajudar’. Eles ajudaram, mesmo sabendo que estão competindo um contra o outro. Independentemente do resultado, os estudantes têm que ter orgulho do que fizeram”, afirma Kamila.


A COMPETIÇÃO
O Torneio de Robótica FIRST LEGO League reunirá 100 equipes formadas por estudantes de 9 a 16 anos e promove disciplinas, como ciências, engenharia e matemática, em sala de aula. O objetivo é contribuir, de forma lúdica, para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais exigidas dos jovens.
O diretor de Operações do Departamento Nacional do SESI, Paulo Mol, ressalta que a elaboração dos projetos estimula a autonomia e o trabalho em equipe e contribui para a formação profissional dos alunos. “A questão do empreendedorismo é a base de todo o processo. Nesse torneio, uma das avaliações que é extremamente importante é a capacidade de empreender, de buscar coisas novas, de fazer com que o produto seja desenvolvido”, atesta.


Fonte: Agência do Rádio (Daniel Marques)
Arte: Agência do Rádio Mais

Foto: Arquivo Pessoal/ Divulgação

SARAU NÃO AO FEMINICÍDIO, um grito contra a violência à mulher”



Em defesa da vida, amantes da poesia, música, justiça e direitos humanos estão convidados para o Sarau Não ao Feminicídio, no dia 13 de fevereiro, a partir das 19h, no Teatro dos Bancários.

Com entrada franca e em protesto à alarmante realidade que acomete mulheres em todo o Brasil,  a ação cultural, promovida pelo Celeiro Literário Brasiliense e pelo projeto BraSa - Caminhos Literários e Musicais entre Brasília e Salvador, contará com vinte poetas e diversos músicos da capital federal, que levarão seus versos e canções em um gesto político de denúncia das violências físicas e simbólicas contra o gênero feminino.

Com a quinta maior taxa de feminicídio do mundo, a realidade brasileira aponta para uma guerra silenciosa na qual milhares de mulheres cotidianamente são ameaçadas, abusadas, estupradas ou mortas.
A última edição do Atlas da Violência, produzido em 2019 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), constata a triste conjuntura: o número de mortes de mulheres por razão de gênero. Em dez anos, houve um CRESCIMENTO DE 30,7% DE HOMICÍDIOS FEMININOS no território nacional.
Somente em 2017, 13 MULHERES FORAM ASSASSINADAS por dia, além da estimativa de, no mínimo, 300 MIL ESTUPROS ANUAIS, já que, infelizmente, as notificações não correspondem a todos os crimes. 

No DISTRITO FEDERAL, conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, somente em janeiro de 2019, registrou-se UM FEMINICÍDIO POR SEMANA. Na maioria dos casos (74%), os crimes ocorreram dentro de casa. Pelo perfil das vítimas, a maioria entre 25 e 30 anos.  Segundo os dados atualizados em 2018, BRASÍLIA OCUPA O QUINTO LUGAR em índices de feminicídio no país. 

Frente a esse grave cenário, artistas de Brasília se unem para dar um basta à violência contra as mulheres. Subirão ao palco os seguintes poetas:
Nilva Souza, Cristina Roberto, Seirabeira, Ana Rossi, Custódia Wolney, Luciana Barreto, Angélica Torres, Paulo Lima, Mauro Rocha, Márcia Amaral, Ismar Lemes,  Flora Benittez, Pietro Costa, Nara Fontes, Juliana Bram, Vicente Sá, Malu Verdi, Roberto Medina, Luh Veiga e Maria Maia.

Na programação musical:
Martinha do Coco, Dora Cabanilha, Marina Andrade, grupo de choro Regional Marangone – Rodrigo Pereira (violão), Cristina Porto (fagote), Fernando Borgatto (bandolim), Sidnei Maia (flauta), Henrique Borgatto (cavaquinho) e Davi Muniz (pandeiro) –, além do quarteto formado por Beatriz Schimidt (flauta transversal), Eduardo Rangel (voz), Liliana Gayoso (violino) e Genil Castro (guitarra).

O evento conta ainda com o apoio expressivo de diversas entidades civis,  como:
Sindicato dos Bancários, Associação Brasileira de Economistas pela Democracia (ABED), Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia (APD), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Anesp), CFMEA, Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Planejamento e Orçamento (Assecor), Unacon Sindical, Instituto Construção.


Sarau NÃO AO FEMINICÍDIO, 13 de fevereiro, 19h, Teatro dos Bancários, entrada gratuita.
Fonte/Arte: Assessoria de Imprensa Kleyton Jacob
Coordenação: Adroaldo Quintela / Rosa Paulo

FEMINICÍDIO da Sandrinha capoeirista



Era um início de noite tranquilo no Guará I, por volta das 19 horas do dia 4 de março de 2018 (domingo), quando uma grande nuvem de fumaça se alastrou pela principal via de acesso da cidade, vindo do local onde era a Imobiliária Aderbal Luiz Imóveis, cercado de tapumes e com vários conteiners de construção dentro.
O que ninguém imaginava quando o Corpo de Bombeiros foi acionado, é que ali foi cometido uma bárbarie contra uma mulher,  Sandra Rodrigues, a “Sandrinha Capoeirista”, que morreu queimada viva, presa em um dos conteiners.

Sandrinha, que tinha 37 anos, deixou dois filhos e toda uma família traumatizada e uma comunidade estarrecida pelo tamanho da crueldade.
Só por volta das 23 horas é que sua irmã, Sheiza Braga, começou a ter noção do que havia ocorrido com Sandrinha, devido ao grande burburinho na vizinhança. Uma colega que trabalhava no Subway a avisou. Foram horas de pânico e incertezas até a ida ao IML para reconhecimento do corpo.
As suspeitas logo recaíram no companheiro Márcio do Nascimento Batista, 36 anos, conhecido pela alcunha de “Mano”, que foi preso logo em seguida ao crime, com julgamento marcado para o dia 6 de fevereiro, a partir das 9 horas, em júri popular aberto ao público.

CAPOEIRA SOCIAL
Sandrinha, ao lado de sua família, cresceu e estudou nas escolas do Guará. Aprendeu a praticar capoeira e decidiu, na juventude, passar esta prática adiante. Ensinava, gratuitamente, a todos que queriam entrar na roda e aprender.
Com seu engajamento social foi colecionando admiradores de uma juventude que não conhecia internet nem Redes Sociais. A diversão e distrações eram nas pracinhas do Guará. Seu sorriso largo e sua  paixão pela capoeira logo se espalhou, e hoje, os quarentões da cidade tiveram a oportunidade de conhece-la, como o jornalista e radialista Luciano Lima.

DEPENDÊNCIA QUÍMICA
O tempo passou e Sandrinha enveredou por caminhos que a família não esperava. A criação de seus dois filhos, Gabriela e Vinícius, foi assumida  por sua mãe, a Nalvinha. Todo o seu empenho por uma vida saudável foi por água baixo quando passou a ser dependente química, como muitos jovens dos anos 90. Sua família a abraçou e ela fez vários tratamentos para deixar o vício. Todos em vão.
Ao ter como companheiro, o “Mano”, selou sua triste sorte, com a vida ceifada aos 37 anos de idade e, com muitos sonhos pela frente. Deixar o vício e criar seus filhos com dignidade, segundo relato da irmã.

SHEIZA, CLAMA POR JUSTIÇA
A reação da família enlutada diante da dor foi a fuga. Ir para bem longe para não passar diante do local, palco da tragédia de feminicídio. Dona Nildinha e seus dois netos foram para o Nordeste, Sheiza Braga foi para Vitória no Espírito Santo. Todos destruídos pela dor. Sheiza, que tem o nome de uma heroína das histórias em quadrinhos, se refez e voltou em 2019 para lutar pelo julgamento do suspeito. “Pela minha imã, por mim e por todas às mulheres eu quero justiça”, afirma.
Se juntou aos movimentos contra o feminicídio no Distrito Federal e luta incansavelmente por justiça para todas nós, ainda vivas.

“Sabemos que nada trará de volta minha irmã, mas o mínimo que esperamos das autoridades competentes é que a justiça seja feita. Pois ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém. O Márcio não acabou só com a vida da Sandra, e sim da minha família. Perdi uma irmã, meus sobrinhos ficaram órfãos. Nossas vidas foram transformadas, e infelizmente isto não tem conserto”.
 Sheiza Braga

A professora aposentada Maria da Guia deixou no Blog da Zuleika um comentário que resume o sentimento de todos os guaraenses:
Parabéns, ZULEIKA pela matéria tão importante para nosso contexto social e humano!..
Conheci a menina Sandrinha e sua mãe, a batalhadora Nalvinha que trabalhou muito para criar suas filhas com dignidade.
Parabéns também a Sheiza que como irmã está sempre batalhando por uma justiça necessária, diante da monstruosidade do crime cometido que vitimizou também toda família, amigos e a sociedade!
Que Deus as abençoe sempre

SOB AS PENAS DA LEI
O Blog da Zuleika foi em busca de informações com uma advogada criminalista a respeito da possibilidade do julgamento de “Mano”, ser baseado na nova lei  Anti-Crimes que entrou em vigor em janeiro de 2020. E Obtivemos as seguintes explicações da criminalista Giovana Ghersel:

“O nosso código penal entende que não é possível a retroatividade da lei para prejudicar o réu. Portanto se ele comete um crime em 2018 que tem uma pena máxima de por exemplo 10 anos e em 2020 essa pena máxima é acrescida para 20 anos, ele não pode ser julgado com base na pena máxima da lei que não estava em vigor à época dos fatos. O Código Penal no crime de homicídio estabelece que a pena máxima é 30 anos. Mesmo que ele tivesse realizado o crime em 2020 não necessariamente ele seria julgado na pena máxima de 40 anos. Para isso teria que ter uma reforma no Código Penal a respeito da pena máxima de homicídio. O que pode ocorrer agora é que a pena pode chegar até 40 anos dependendo do número de agravantes que o réu tiver cometido. Na progressão de regime só teve alteração em relação ao tempo de quem praticou crimes hediondos. Para quem é primário e cometeu crime hediondo,  a partir do dia 23 de janeiro de 2020, terá de cumprir pelo menos metade da pena antes de conseguir a progressão do regime; e para quem é reincidente em crime hediondo, o prazo mínimo para a progressão do regime é de 70% da pena aplicada”.




© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo