TAGUATINGA – XODÓ SÓ EM ANO DE ELEIÇÃO...


Diz uma piada que Taguatinga é uma bela moça pra namorar, mas não pra levar para o altar. 
Não é só o poder público que se esquece da cidade. 
Tem taguatinguense que só se lembra dela quando lhe convém.... 

O melhor que podia acontecer para Taguatinga é que todo ano fosse ano de eleição. Quando se aproxima o período eleitoral, surgem “taguatinguenses” revoltados com o descaso com que cidade é tratada pelo governo, políticos e pelos administradores por ele indicados.
A movimentação é tão grande que passa a impressão que a cidade só existe mesmo no período eleitoral.
Não é regra, mas a maior parte destes patriotas, bairristas de ocasião e salvadores da pátria só está interessada mesmo é no voto do eleitor taguatinguense. Apesar de todos negarem com veemência, alegando que toda esta movimentação extemporânea é em “defesa de Taguatinga”.
Políticos com mandato e outros a caça de um, “encaixam” seus apaniguados em grupos com pretensos interesses na melhoria de Taguatinga. Os discursos oportunos de revolta e de descontentamento só aparecem mesmo em época de eleição.
É isto que espanta o taguatinguenses comum destas iniciativas. É o que justifica o fato de que em uma cidade com colégio eleitoral de 175 mil eleitores*, o distrital mais votado teve pouco mais de 3000 votos.
* (só de zonas eleitorais em Taguatinga)
A prova de que “estes patriotas, bairristas de ocasião e salvadores da pátria estão interessados apenas no voto do eleitor taguatinguense”, tem quem participa de qualquer um dos vários grupos organizados que, mesmo fora do período eleitoral, sempre procuraram e procuram se reunir para discutir, denunciar, participar e propor soluções para os problemas da cidade.

LUOS – Lei do Uso e Ocupação do Solo
Nas discussões sobre a LUOS, a participação do cidadão de Taguatinga se restringiu a pouco mais de meia dúzia de pessoas. Mesmo naquela reunião realizada no auditório da Administração de Taguatinga em que havia dez vezes mais representantes de Ceilândia, Vicente Pires e Samambaia, do que da cidade anfitriã.
Na ultima audiência pública sobre o tema, realizada no Campus da UnB da Ceilândia a representação de Taguatinga foi pífia. Na audiência da Poligonal de Taguatinga e de outras cidades realizada no Museu da República, a participação do taguatinguenses foi melancólica. A cidade foi representada apenas pelo aguerrido presidente da Associação Comercial Industrial de Taguatinga – Justo Magalhães – solitário entre o povo que compareceu ao local, apesar de haver sido amplamente divulgada pelo governo por mais de 30 dias, em vários grupos de whatsapp e em outras redes sociais.
Destaque-se que várias prévias da discussão sobre a LUOS foram organizadas pela ACIT, que enviou em todas elas, mais de 1000 convites e que contou também com ampla divulgação nas redes sociais. Puro constrangimento. Os técnicos do governo compareciam em massa, com amplo amparato tecnológico, para apresentar as mudanças em Taguatinga para um pequeno grupo que nunca passou de 20 pessoas.  Com raríssimas exceções, os “patriotas, bairristas de ocasião e salvadores da pátria”, nunca se fizeram presentes nestas reuniões.
JULIO CARNEIRO
O abnegado médico tenta ressuscitar e ocupar a Praça do Coreto, organizando periodicamente aos domingos, eventos gratuitos abertos para a comunidade. A praça, antes ocupada por mendigos, por drogado e com constantes assaltos, foi reformada pelo governo com a parceria do Taguatinga Shopping. Apesar da baixa frequência, Dr. Júlio não desiste. Quem nunca aparece por lá são justamente estes “patriotas, bairristas de ocasião e salvadores da pátria que estão interessados mesmo é no voto do eleitor taguatinguenses”.
MOVITU,
MERCADO NORTE / TAGUACENTER
O local, tradicional e de forte comércio, há muito vem precisando de uma atenção do poder público. O assunto foi tratado, FORA DO PERÍODO ELEITORAL, por um grupo de taguatinguenses coordenado por Ronaldo Seggiaro (Movimento Taguatinga Unida) e Justo Magalhães, com a participação de várias lideranças da cidade. A iniciativa rendeu a doação de um projeto de revitalização para a área pela arquiteta taguatinguenses Miriam Carneiro e o inicio das tratativas para realização das obras. Uma parte do recurso (R$ 800 mil) foi destinada por emenda pelo deputado Chico Leite e parte do restante foi levantada pelo diligente presidente da Associação Comercial Industrial de Taguatinga – Justo Magalhães em uma peregrinação por gabinetes de outros distritais.
PARTICIPAÇÃO
O que não dizer também da luta constante do Mestre Paulão e da incansável Marta Lima a frente do Conselho de Segurança de Taguatinga – CONSEG. Apesar das reclamações dos moradores, em algumas reuniões do conselho, com a presença de várias autoridades, o público se restringiu a pouco menos de 20 pessoas. E sem a desculpa de que o Conseg é ineficaz. Muito de melhorias no transito, iluminação, segurança e outros, foram conseguidas com as intervenções da entidade. Com raríssimas exceções, os “patriotas, bairristas de ocasião e salvadores da pátria”, nunca se fizeram presentes nas reuniões do CONSEG.

 
Diz uma piada que Taguatinga é uma bela moça pra namorar, mas não pra levar para o altar. Não é só o poder público que se esquece da cidade. Tem taguatinguense que só se lembra dela quando lhe convém....


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo