TRANSPLANTE DE CÓRNEA - É possível em pacientes com Ceratocone e Síndrome de Down.

Cirurgia proporciona melhora na qualidade de vida do indivíduo
Pessoas com Síndrome de Down têm maior tendência a desenvolver Ceratocone, doença que afeta os olhos, alterando a espessura e curvatura da córnea, e comprometendo a visão. Casos avançados da doença, freqüentemente vistos em pacientes com Down, têm indicação de transplante de córnea.
 




“O Ceratocone pode causar baixa significativa na visão que, associada a graus diferentes de déficit cognitivo e intelectual observados no paciente com Síndrome de Down, pode trazer grande limitação, incluindo as atividades rotineiras”
Dra. Myrna Serapião
Oftalmologista do Hospital de Olhos Paulista e especialista em Córnea.





Abaixo, a médica esclarece alguns aspectos sobre esta condição.
Quando o transplante é indicado para um paciente com Síndrome de Down?
Quando a doença começa a atrapalhar o desenvolvimento de atividades laborais, de estudo, ou até mesmo domiciliares. Síndrome de Down não representa contraindicação do transplante de córnea. Ao contrário, pode significar uma melhora significativa na qualidade de vida dos pacientes.
Por esta razão, é muito importante uma boa relação médico-paciente. A afinidade entre os dois é fundamental para o sucesso do tratamento. Uma relação de confiança poderá facilitar a dinâmica das consultas, principalmente na fase de retirada das suturas. Com essa proximidade entre as partes, pode ser feita no próprio consultório e sem sedação.

Qual a importância do suporte familiar?
É essencial para indicação e sucesso da cirurgia. Uma família estruturada, com possibilidade de assistir de maneira próxima o familiar é importante no pós-operatório, que exige uma atenção quase que 24h por dia. Uma família disposta a colaborar faz toda a diferença na decisão do transplante e no sucesso do procedimento.

O paciente com Down exige uma equipe especializada?
O cuidado com o paciente deve ser especial. Um exemplo é uma boa equipe de anestesia, pois é comum o indivíduo com Síndrome de Down ter cardiopatias congênitas. Esta condição demanda especial atenção, sem falar novamente do apoio familiar no pós-operatório.

É possível mensurar o resultado visual do transplante?
Em parte dos pacientes é possível medir a visão, fazer refração, topografia de córnea e demais exames que tornam possível avaliar o resultado visual da cirurgia. Nos casos nos quais não é possível aferir o resultado do transplante, por falta de informação objetiva dada pelo paciente, esta percepção é obtida pela observação das atividades diárias desenvolvidas e qualidade de vida, o que indicam uma melhora visual.

Sobre o Hospital de Olhos Paulista
É o mais moderno centro de saúde ocular de São Paulo. Com estrutura diferenciada, é um complexo hospitalar com pronto socorro 24h, centro cirúrgico, centro de diagnóstico, centro de auxílio óptico e possui consultórios equipados com aparelhos de última geração.
O Hospital de Olhos Paulista foi fornecedor dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, prestando atendimento oftalmológico gratuito para mais de 3.600 atletas e delegações.


Para mais informações acesse www.holhospaulista.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo