HOMENAGEM PÓSTUMA DO METRÔ PARA TEREZA FERNANDES


Tereza Eeico Kawaguchi Fernandes, funcionária exemplar do Metrô/DF, cidadã taguatinguense dedicada a causa sociais, fundadora e 5 vezes presidente do Lions Clube Taguatinga Independência, falecida no dia 26 de setembro de 2016, recebeu a Medalha de Mérito Metroviário como homenagem póstuma por relevantes serviços prestados ao Metrô-DF, onde trabalhou por vários anos.
 
A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal – Metrô/DF comemorou o Dia do Metroviário no auditório do Centro Administrativo e Operacional, no dia 26 de outubro, em sua sede em Águas Claras.  
No recinto lotado por servidores e convidados, o destaque da programação ficou por conta da entrega das medalhas do Mérito Metroviário.






Dez empregados, escolhidos por uma comissão, receberam um certificado e uma medalha como reconhecimento pela dedicação e pelo profissionalismo com que sempre executaram as suas funções diárias.


Entre os agraciados, uma homenagem póstuma para Tereza Eeico Kawaguchi Fernandes, falecida no dia 26 de setembro próximo passado, vitima de complicações cardíacas. O Certificado e a Medalha de Mérito Metroviário de Tereza Fernandes foram entregues ao seu marido Carlos Alberto Fernandes que, junto com sua filha Adriana, o seu genro Jordano e as suas netas Ana Carolina e Ana Júlia, que também compareceram ao evento, estavam visivelmente emocionados com a bela homenagem prestada pela diretoria do Metrô-DF.
Presente também, Edvaldo Brito – Presidente do Lions Clube Taguatinga Independência, clube de serviços no qual Tereza Fernandes foi fundadora, presidente e uma associada que sempre teve papel de destaque nas campanhas assistenciais da entidade.



Marcelo Dourado, presidente do Metrô-DF, enalteceu a importância de cada empregado homenageado com as medalhas do Mérito Metroviário e o seu papel na construção de uma empresa mais fortalecida. Emocionado, ele fez questão de destacar a homenagem póstuma prestada a Tereza Fernandes.

“Tereza era um raio de luz, com sua calma, sua tranquilidade e sua sabedoria. Em alguns momentos de tensão, ela sempre vinha a minha sala com uma palavra de estimulo. Ela vai fazer muita falta”.

Para encerrar, citou o padre Antônio Vieira:
“Nós somos o que fazemos. O  que não fazemos não existe”.




Foram agraciados também com medalhas do Mérito Metroviário Inalba Galvão, Marcílio Roquete, Maria de Lourdes Galvão, Esteamer Divino Pires, Leonardo Moy, Onisley Pinto, Mônica Leite, Pedro Oldemar e José Eduardo Duque. As medalhas e os certificados foram entregues pelos diretores Daniela Diniz,  Gustavo Andrade  e Gilbert Pompíli.



Nota do Editor: 
O destaque negativo ficou por conta de militantes do Sindimetrô que com truculência invadiram a cerimônia e sem a menor sensibilidade ou respeito aos homenageados, suas famílias e aos companheiros que estavam ali para prestigiar os colegas que receberam a comenda, portavam um faixa com mensagem contra o governo e gritos de protestos. Não era a hora e muito menos o lugar... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo