PROPAGANDA

header ads

DOUTORES DE ESPERANÇA - Corrente do bem beneficia moradores de rua em Taguatinga


Os integrantes de um grupo de humanização hospitalar cristão, conhecidos como Doutores de Esperança, mantidos pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA), realizaram no sábado, dia 11 de julho,  uma ação para moradores em situação de rua do assentamento de Taguatinga.


Cerca de 150 pessoas foram beneficiadas com banho quente, cesta básica, almoço, lanche, água, roupas e cobertores.



A ação também teve o apoio de jovens calebes, um projeto realizado em toda América do Sul, em que jovens voluntários da Igreja Adventista do Sétimo Dia doam as férias para fazer o bem ao próximo. Em Brasília, o movimento conta com cerca de 7 mil voluntários nestas férias de julho.

Segundo um dos líderes do projeto, pastor Lucas Laplaca, o objetivo da ação é levar esperança às pessoas.
pastor Lucas Laplaca:
Além da ajuda com doações, queremos ouvi-las e levar uma palavra de alento aos que mais necessitam.


Os itens doados foram arrecadados pela própria equipe que realizou uma corrente do bem intitulada “Doutores em Ação”. As famílias beneficiadas foram cadastradas previamente e receberam uma senha. Os voluntários também destinaram um momento especial para ouvir e conhecer a história de vida de cada um dos beneficiados. Através de músicas e doação de livros, os voluntários despertaram reflexões sobre projeto de vida, futuro e esperança.

Um ônibus com ducha quente atendeu pessoas carentes e moradores de rua oferecendo banho quente, itens de higiene, como sabonete, toalhas e roupas limpas, a fim de trazer um pouco mais de dignidade física, moral e social à comunidade do assentamento.

A coordenadora do projeto, Thaís Trivelato, explica que a ação teve início pela manhã e se estendeu por todo o dia.

Thaís Trivelato:
Quem participou da ação recebeu máscara para ficar dentro do circuito.
Os beneficiados ganharam roupas novas para vestir depois do banho.
Já as crianças receberam de presente livros para colorir, lápis de cor, pipoca, kit festa, entre outros mimos.

Já dentro do acampamento houve uma área para crianças ouvirem histórias enquanto esperam para tomar banho.

Cirlene de Araújo foi uma das beneficiadas. Ela tem sete filhos e mora no assentamento, em um barraco improvisado de lona. Ela conta que ficou feliz pela equipe de voluntários se importar com ela:
Cirlene de Araújo:
A gente fica esquecido aqui, não temos casa, não temos nada.
E quando alguém lembra da gente é uma emoção muito grande.
Os meus filhos puderam tomar banho, ganhamos comida e ainda ouvimos mensagens de esperança.
Esses jovens são abençoados.

Ao meio-dia marmitas foram distribuídas.
E no final da ação cada pessoa ganhou um balde com dois cobertores, chinelos, produtos de higiene pessoal, remédios e outras itens.
Thaís Trivelato
coordenadora do projeto

Com informações:  Rafael Brondani

Postar um comentário

0 Comentários