A SINUCA DE BICO DE FREJAT

O ex-secretário de Saúde Jofran Frejat, filiado ao Partido da República (PR) colocou o seu partido em uma verdadeira “sinuca de bico”, deixando o seu grupo politico sem saída.


Como amplamente divulgado em blogs políticos, Jofran comunicou na terça-feira dia 17 de julho ao presidente nacional do PR, Valdemar Costa Neto, que não iria mais concorrer ao Governo de Brasília nas eleições e outubro.

Jofran Frejat, que também já foi deputado federal, estava na cabeça de todas as pesquisas de intenção de votos para o GDF e era considerado até então o único concorrente com condições de impedir a reeleição de Rodrigo Rollemberg.

O motivo, de acordo com o próprio Frejat, é que ele não estaria disposto a continuar no pleito e no grupo politico por motivos que violariam os seus princípios.
O grupo de ex-secretário de Saúde é comandado por medalhões da politica local, famosos por estripulias pouco recomendáveis em exercício de cargos públicos, alguns com processos e impedidos de se candidatarem nas eleições 2018 por não estarem dentro das exigências da Lei da Ficha Limpa. A começar por Valdemar Costa Neto, envolvido em escândalos no passado, que informalmente, exerce o comando da legenda.
Este tipo de companhia dá ao eleitor o direito e a liberdade de imaginar o quão escabrosos e ilegais poderiam ser esses “motivos” que espantaram Jofran Frejat, que sempre foi conhecido no DF  como um homem de bons princípios.

SINUCA DE BICO
Se Jofran Frejat voltar atrás e decidir concorrer ao GDF?
O eleitor é livre para imaginar que o politico cedeu à tentação e enterrou os “motivos escabrosos” junto com os seus princípios.

Se a coalizão de que Frejat faz parte colocar outro medalhão em seu lugar?
O eleitor é livre para entender que este novo candidato não tem os mesmos “princípios” e aceitou os “motivos escabrosos” que arrepiaram os princípios do ex-secretário da Saúde e fizeram com que ele desistisse em concorrer ao GDF.

Dá para confiar em políticos de uma coalizão que tem praticas que obrigaram um homem de princípios a desistir de uma vitória quase certa na corrida ao GDF?
É lógico que o eleitor do Distrito Federal já percebeu que “neste mato tem cachorro”. Além de  toda esta situação ter colocado um enorme ponto de interrogação sobre essa coalizão, também despertou o eleitorado para a questão da probidade administrativa, quesito em que o atual governador Rodrigo Rollemberg está muito a frente dos outros concorrentes.

* Edvaldo Brito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo