CONGRESSO INTERNACIONAL DE KRAV MAGA – Tema será “Como se defender da violência urbana”


A violência urbana é crescente e pode ser constatada nos momentos mais corriqueiros de nosso cotidiano: quando andamos na rua, quando estamos sentados em um restaurante, passeando no shopping, ou mesmo em meio à multidão.


Para que as pessoas não se tornem vitimas dessa violência, precisam estar preparadas para detectar as situações de risco, evita-las e até mesmo para enfrenta-las.

“Circuito Urbano” será o tema do CONGRESSO INTERNACIONAL DE KRAV MAGA, que será realizado em Brasília, nos dias 30 de junho e 1º de julho, em comemoração aos 50 anos de treinamentos do israelense Grão Mestre Kobi Lichtenstein (faixa-preta – 8º Dan), o introdutor do Krav Maga no Brasil.

Voltado aos alunos, praticantes, convidados e ao público interessado, o CONGRESSO INTERNACIONAL DE KRAV MAGA – ETAPA BRASÍLIA contará com dois dias de treinamentos, workshop, palestra, demonstrações e homenagens.
Grão Mestre Kobi conta que os congressos têm por objetivo principal reunir os alunos que acompanham essa trajetória em eventos comemorativos:
“Os congressos internacionais centralizam nossos alunos do Brasil, México e Argentina para um encontro de muito treinamento, mas também de celebração dessa caminhada”.

 A primeira etapa foi no Rio de Janeiro e, além de Brasília, os eventos serão realizados em São Paulo (SP), Salvador (BA), Florianópolis (SC), além de Argentina e México), sempre com temáticas diferenciadas.
       
A HISTÓRIA 
Grão Mestre Kobi iniciou seus treinamentos de Krav Maga, a defesa pessoal israelense, aos três anos de idade, em Israel, com o criador dessa modalidade, Imi Lichtenfeld.
Grão Mestre Kobi foi o primeiro faixa-preta de Imi a sair do estado de Israel para difundir a modalidade pelo mundo, chegando ao Brasil em 1990, onde fundou e hoje dirige a Federação Sul Americana de Krav Maga, a única representante oficial da modalidade no Brasil, México e Argentina e detentora da marca Krav Maga no Brasil.
Ao longo destes anos, o Krav Maga Mestre Kobi vem realizando um trabalho extremamente sério e responsável na difusão da técnica. Ainda hoje, o método de prática e de ensino que aplica é o mesmo criado por Imi Lichtenfeld e utilizado em Israel.

O QUE É O KRAV MAGA
O Krav Maga foi criado na década de 40, para permitir a qualquer pessoa exercer o direito à vida. Com respostas simples, rápidas e objetivas para situações de violência do dia a dia, o Krav Maga possibilita que qualquer cidadão comum, independentemente de força física, idade ou sexo, possa voltar em segurança para casa. 
Não há competições no Krav Maga e a modalidade é mundialmente reconhecida como defesa pessoal e não como arte marcial.  O treinamento orientado por profissionais qualificados transmite aos praticantes as diversas possibilidades de defesa. Os detalhes tornam a técnica eficiente e a instrução bem executada, prepara o aluno para enfrentar qualquer tipo de agressão.   
Do ponto de vista físico, o princípio desta modalidade de defesa é que os exercícios sejam exequíveis por qualquer pessoa, em seu ritmo próprio, respeitando o limite de seu corpo. Ainda assim, há o estímulo para que os alunos se exercitem diariamente. Emocionalmente, o Krav Maga forma pessoas mais seguras. Para se enfrentar situações de risco é preciso capacidade mental e isso se adquire por meio de práticas orientadas pelo instrutor. 
A prática também influencia no comportamento. Atenção, disciplina e seriedade, saber diferenciar o certo do errado, usar o autocontrole, tudo isso é praticado. O resultado de tudo extrapola os treinamentos e se reflete na qualidade de vida das pessoas. Hoje, civis e militares adotam o Krav Maga no mundo inteiro por sua eficiência em combate.


As taxas de homicídios no Distrito Federal crescem em velocidade menor do que em outras unidades da Federação. Mesmo assim, entre 2015 e 2016, o índice aumentou 0,3% — a taxa é de 25,5 assassinatos a cada 100 mil habitantes. Entre 2015 e 2016, a cada 100 mil jovens, 50,4 morreram assassinados no DF, principalmente, homens — um aumento de 6% entre 2015 e 2016. O estudo mostra que a região acompanha o fenômeno nacional. No Brasil, são 65,5 mortos intencionalmente a cada 100 mil jovens. O levantamento alerta que o agravamento desse quadro em 2016 dever ser uma preocupação para o Brasil. Já entre as mulheres, os dados nacionais mostram que, em 2016, 4.645 foram assassinadas no país, o que representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em 10 anos, observa-se um aumento de 6,4%. No Distrito Federal, foram 64 vítimas em 2016. A taxa é similar à nacional. Foram quatro mulheres assassinadas a cada 100 mil.

CONGRESSO INTERNACIONALDE KRAV MAGA – ETAPA BRASÍLIA 
DATA: 30/06 e 1/07
HORÁRIO: de 09 às 16h
LOCAL: ASSEJUS - Associação dos Servidores da Justiça do Distrito Federal
ENDEREÇO: St. de Clubes Esportivos Sul Trecho 2 - Brasília, DF
Informações : Infodf@kravmaga.com.br

Para conhecer mais sobre o Krav Maga acesse: www.kravmaga.com.br

 Fonte: Roberta Provatti -  robertaprovatti@kravmaga.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo