MORTES POR AIDS NO DF - Capital registra queda no número de casos e de mortes

O mês de dezembro marca as ações de combate à aids em todo Brasil. 
E a nova edição do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, lançado no início do mês, registra queda no número de casos e de morte por aids em todo país.

No Distrito Federal, a mortalidade por aids caiu de 4,2 para 3,2 casos por 100 mil habitantes entre 2014 e 2016. Já a taxa de detecção de casos de aids caiu de 19,3 para 15,4 casos por 100 mil habitantes. Os resultados demonstram os acertos da política de assistência do Ministério da Saúde, que ampliou o diagnóstico do HIV e diminuiu o tempo para iniciar o tratamento.

Com um resultado positivo para o HIV, a pessoa inicia o tratamento em, no máximo, 41 dias após o diagnóstico. Em 2014, esse tempo era de 101 dias.
Segundo a diretora de IST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, as novas tecnologias de prevenção são fundamentais para vencer o HIV.
“Nós estamos apostando com todas as tecnologias existentes para que, realmente, a gente possa estar caminhando para uma redução da incidência de HIV no país. O Brasil, hoje, ele consegue, através da política da prevenção combinada, colocar todos os elementos existentes no mundo para a prevenção. Nós somos pioneiros nisso. E essa questão ela é fundamental para esse enfrentamento do aumento das IST e do HIV entre jovens”.

O perfil da aids revelado pelo Boletim Epidemiológico 2017 demonstra que, nos últimos dez anos, há uma tendência de queda de casos de aids em mulheres e aumento em homens. Em relação à faixa etária, a taxa de detecção quase triplicou entre os homens de 15 a 19 anos. Entre os com 20 a 24 anos o número de casos dobrou.
Já nas mulheres, houve aumento de quase 14% entre 15 e 19 anos. Também há crescimento em idosas acima dos 60 anos, passando de 5,6 para 6,4 casos por 100 mil habitantes. Quanto a forma de transmissão, a doença cresce entre homens que fazem sexo com outros homens.
Na comparação com 2006, observa-se aumento de 33% nos casos de transmissão entre esse público. 

(Agencia do Rádio - Luiz Philipe Leite).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo