A BATALHA NO FACEBOOK E WHATSAPP

As crises, econômica e politica, que dividiram o Brasil,  transformaram as redes sociais em verdadeiros campos de batalha entre usuários e internautas.

 Paralelo às discussões em torno do pedido de impeachment da presidenta Dilma Roussef, a legalidade dos grampos da Policia Federal que atingiram autoridades com foro privilegiado, a nomeação do ex-presidente Lula para a Casa Civil, a quebra do sigilo das gravações pelo Juiz Sérgio Moro e as atividades da força tarefa da operação Lavajato, uma outra batalha está mobilizando a sociedade brasileira. Pelo menos para quem tem acesso às redes sociais na Internet.
Centenas, milhares de mensagens circulam pelos perfis do Facebook e nos grupos de WhatsApp, com charges, montagens, insultos indiscriminados e denúncias. Algumas repercutidas de noticias da imprensa, outras aparentemente falsas e sem qualquer procedência.
Os alvos preferidos são a presidenta Dilma, o ex-presidente Lula, o presidente da Câmara dos deputados Eduardo Cunha, o presidente do Senado Renan Calheiros, os juízes Sérgio Moro, Gilmar Mendes, Teori Zavascky, Carmem Lúcia e Rosa Weber. Para todos, elogios, acusações e insultos. Os assuntos mais comuns são a Operação Lavajato, o tríplex do edifício Solaris e o Sítio de Atibaia, supostamente patrimônio ocultado pelo ex-presidente Lula. Mas tem destaque também para a nomeação do petista para a Casa Civil. Segundo os internautas, “um golpe para dar foro privilegiado para Lula e evitar um possível mandado de prisão”.
De um lado, petistas e simpatizantes de partidos de esquerda repetindo à exaustão que “Não Vai Ter Golpe”. Os inimigos declarados desta tropa, o juiz Sérgio Moro e a Tv Globo, são massacrados com textos, memes e gifs e muita noticia atribuída a artistas, políticos, juristas e outras personalidades contrários às investigações da Lavajato e também contra a divulgação dos escândalos envolvendo empresários e altas personalidades da politica brasileira.
Do outro, cidadãos indignados com estas noticias sobre corrupção, propinas e desvio de verbas por estes políticos e por estes empresários em obras públicas e mais precisamente na maior empresa brasileira, a Petrobras. Todos pedindo pelo impeachment da presidenta e pela prisão de qualquer envolvido em escândalos de corrupção, seja ele de direita ou esquerda ou cidadão comum.
Não menos importante, tem a turma que quer a cabeça de quem quer que esteja surrupiando o Brasil. Sobrou para o senador Aécio Neves, para o ex-presidente Fernando Henrique, para outros políticos que tiveram seus nomes citados nas investigações e até para Olavo Setúbal que não está entre mais entre os vivos para se defender, ou ser punido.
Volta e meia aparece algum usuário das redes sociais postando mensagens pedindo a volta do regime militar e também de evangélicos pedindo logo o retorno de Jesus para por ordem na bagunça deplorável que tomou conta do nosso país.
Bom mesmo seria se, para ficar livre de toda confusão, bastasse apenas a gente desligar o celular, o modem e o computador. Mas se fizer isso, quando ligar de novo vai estar lá, repleto de mensagens, a batalha do bem contra mal na arena Facebook e no ringue WhatsApp.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Folha da Comunidade DF - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo